Sua agência ainda não faz Inbound Marketing para si mesma?

inbound marketing

Você não está fazendo Inbound Marketing para sua a própria agência? Prepare-se para refletir: “Não acredito, eu confirmei o ditado ‘casa de ferreiro, espeto de pau’”. Isso mesmo. O tempo passa e muitas agências de marketing digital continuam com as mesmas práticas da década passada, ou seja: cair na loucura de ser um entregador de peças de comunicação, com pouco planejamento e falta de processos definidos. Isso poderia não ser um problema, porém, a desorganização arrefece a criatividade e elimina oportunidades de novos negócios.

Não gosta de ditados? Perdoe-me. Entretanto, lá vai mais um: “O gato subiu no telhado”. Isso mesmo, você está perdendo oportunidades de crescer sustentavelmente por conta da sua própria estratégia – ou a falta de um modelo estratégico aplicado. O Inbound Marketing não vale apenas para o seu cliente,o Inbound Marketing vale para você também.

Compartilho a seguir 5 desculpas comuns afirmadas pelas agências que não praticam (nada ou pouco) Inbound Marketing para o seu próprio negócio. Como forma de tópicos, usei algumas frases que já ouvi de diferentes agências do mercado.

1) “Não precisamos de Inbound Marketing”

Não parece, mas muitas agências de marketing digital que estão utilizando as técnicas de Inbound Marketing para os seus clientes acreditam não precisar de ações de gerações de Lead e de relacionamento com oportunidades via conteúdo. Então eu lhe pergunto: “Como ser uma referência em sua área de atuação?”

Conheci agências com anos de experiência no mercado que perderam várias contas de uma única vez. Algumas não estavam prontas para uma turbulência dessas. A ironia é que todas as que passaram por isso negligenciaram o Inbound Marketing para si, priorizando, exclusivamente, o cliente. Foco no cliente não é erro. Errar é não ter uma estratégia de posicionamento de mercado para diversificar a carteira de negócios.

2) “Só uso ferramentas de marketing digital para os meus clientes, e está bom assim”

Ok, o dia a dia é pesado. Muitas tarefas, pessoas, atendimento ao cliente, contas a pagar, whatsapp etc. Realmente, é difícil equilibrar os pratos e ser produtivo. Mas veja os casos anteriores. Agências que perderam seus clientes repentinamente. A correria faz parte do jogo.

Com a quantidade de ferramentas (verticais, integradas, pagas e gratuitas), não há motivo para não aplicá-las para a própria agência. A equipe já tem know-how, sabe o que precisa ser feito. Basta priorizar e fazer. Se a equipe estiver bem organizada, pode, tranquilamente, executar as tarefas com foco no resultado final.

Leia também: Ferramentas de marketing para agências de Inbound Marketing

3) “Inbound Sales não serve para nós”

Desconhecer o processo de Inbound Sales não é incomum. Não por menos, ainda é um assunto novo para o mercado de agências e consultorias de marketing digital. E, também, ninguém está falando para substituir, totalmente, o processo Outbound por Inbound. Os diretores, gerentes de contas, entre outros, precisam conhecer o negócio do cliente. Nada como um contato “téte-a-téte” para rebuscar o briefing e alinhar as expectativas de ROI.

O problema é afirmar, categoricamente, que o Inbound Sales não vale para o seu próprio negócio.Conheço agências que fazem esse trabalho – e muito bem. Na maioria das vezes, essas empresas – que adotam o Inbound Marketing juntamente com Inbound Sales – adicionam os seus conhecimentos de mercado e, quando chega ao final da nutrição do Lead (ao se tornar uma oportunidade negócio), são realizadas reuniões presenciais de fechamento da nova conta.

Repare, as agências fazem toda a estratégia de Marketing de Conteúdo e, após o Lead passar pelas etapas por etapas de aprendizado com esses conteúdos, chega a hora do gerente comercial entrar em ação.

Leia também: Funil de vendas – por que sua agência deve conhecê-lo  e A sua agência sabe vender para Inbound Leads

4) “Não sei como reestruturar a minha equipe”

Esse é um desafio mesmo. Principalmente, se a sua agência tiver mais de 10 anos de mercado e/ou tem forte atuação em ações offline. É uma mudança de visão de negócio. Sabendo disso, o primeiro passo é redefinir o modelo de negócio da agência, prevendo ações de curto, médio e longo prazo.

Ao definir a estratégia, os funcionários precisam ser comunicados. As pessoas são fundamentais em um processo de mudanças. Elas precisam acreditar no propósito. Para isso, apresente qual a estrada deve ser seguida e seja franco: buracos e desvios podem acontecer. Existem ferramentas online e colaborativas que ajudam estruturar a organização interna, exemplos:

Leia também: como contratar e como adaptar minha equipe off para o digital

5) “Não tenho tempo para produzir conteúdo”

Organização pronta; estratégia definida; agora é a hora de pôr a mão na massa e distribuir as tarefas internamente. Com papéis e responsabilidades bem organizados, as ações de marketing podem começar a a ser produzidas. A orientação é básica mas precisa ser feita. Defina as personas para a sua agência e, depois, defina os conteúdos básicos, intermediários e avançados para transformar de visitantes em Leads e oportunidades de negócios. O posicionamento é fundamental.

Dúvida? Veja como a Flammo se organizou e começou a produzir conteúdo.

Pare para pensar. Imagine uma situação hipotética. Você tem verba e estrutura para fazer um jantar ‘chique’ em sua casa. Você contraria o Olivier Anquier (Que Marravilhaaa!) ou a Ana Maria Braga? Já sei, se você for uma mulher lendo esse texto vai dizer: nenhum dos dois, prefiro o Rodrigo Hilbert (risos). Voltando… O Olivier (GNT) é uma pessoa pública e passa confiança quando está na cozinha. Já a apresentadora do “Mais Você” (Rede Globo) sabemos que, dificilmente, cozinha em sua própria casa quiçá fora (mesmo que diga o contrário).

Por quê a comparação? Ambos fizeram fama usando a culinária para chegar ao sucesso, ou seja, usaram o tema para se posicionar e ter produtos licenciados, participar de eventos, contratações de patrocínios, entre outros. Agora se volte para o seu modelo de negócio. Qual o seu core business? O que você se diferencia e faz melhor do que qualquer um? Por que, então, o Google não te referencia na primeira página do seu sistema de busca?

Você pode até escolher ser uma Ana Maria Braga, mas saiba que estará mais propenso a conquistar clientes que querem resultados rápidos e instantâneos (típicos da grande mídia). Já um Olivier Anquier pode até não vir a ter um programa em canal a cabo no futuro próximo (hipótese apenas), mas, certamente, o seu lugar será na cozinha.

O mesmo vale para a sua agência. Como você quer vender um bom projeto para o cliente se não fala rotineiramente nas mídias (próprias, pagas, sociais etc.) daquilo que mais entende?

O cliente para confiar precisa acreditar no que você fala. Se tiver um blog atualizado, e-books, infográficos videos tutoriais em dia, o esforço de comprovar a sua eficácia ao prospect será muito menor.

Leia também: Marketing de conteúdo: ótima opção de negócio para sua agência e seus clientes

Clientes mais satisfeitos, com a sua agência estruturada e gastando menos, não seria bem melhor assim? Pense nisso e deixe a sua experiência,abaixo, no formulário de comentários.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>